pt / en

Destaques

Patrocínio abre as portas para a Uber

Apesar de ainda não ser regularizada, a Uber vai contar com uma estrutura especial no Carnaval de Olinda. Isso porque a empresa decidiu cair na folia de maneira bem estratégica neste ano, tornando-se uma das patrocinadoras da festa. E, ao investir R$ 1,2 milhão, ganhou o direito de divulgar e vender o seu produto na folia. 

"Quando patrocina um evento, a empresa tem direito de comercializar seus serviços. Por isso, a Uber terá acesso ao Sítio Histórico", contou a gerente de comunicação da Uber no Brasil, Atalija Lima. "Publicamos um edital para convocar patrocinadores para o Carnaval e a Uber foi uma das empresas que fechou contrato com a prefeitura. Por isso, os motoristas que estiverem em viagem terão acesso nos pontos de bloqueio", disse o secretário de Transporte e Trânsito, coronel Gustavo Alves.

Os motoristas do app terão até pontos de apoio no Carmo e no Varadouro durante o Carnaval. E dezenas de agentes de trânsito, treinados tanto pela prefeitura quanto pela Uber, estarão nesses locais. Também haverá wi-fi e carregador de celular para os passageiros que estiverem aguardando o carro. 

E Alves garante que, apesar da desaprovação dos taxistas, tudo é legal. "O Carnaval de Olinda tem uma lei específica, que prevê o patrocínio e permite que a empresa patrocinadora divulgue e venda o seu produto na festa. Como a Uber vende transporte, tem direito ao livre trânsito", confirmou a advogada Dóris Castelo Branco, da Martorelli Advogados. 

"O apoio é fruto de várias conversas com a prefeitura e tem como objetivo oferecer uma opção de mobilidade para o folião voltar para casa com mais tranquilidade", falou Atalija, destacando que o aplicativo opera em Pernambuco há quase dois anos e já tem 22 mil motoristas no Estado, mas só agora decidiu estampar sua marca no Carnaval. "É a primeira vez que patrocinamos um Carnaval no Nordeste. E a expectativa é grande", vibrou. Ela não quis, no entanto, revelar as expectativas com o investimento. "Não abrimos números de viagem, mas sabemos que a demanda cresce bastante nesta época, já que quase todo mundo escolhe deixar o carro em casa para brincar", disse, lembrando que a Uber fica com 25% do valor de cada viagem. 

Já a Skol, que é patrocinadora do Carnaval de Olinda há dez anos, garante que o retorno é de extrema importância para a marca. "O patrocinador tem visibilidade e explora comercialmente o Carnaval. Por isso, consegue abranger um número muito grande de pessoas e se aproxima dos consumidores. Isso faz o patrocínio valer a pena", admitiu o gerente regional de marketing da Ambev, Felipe Bratisch.

 

Fonte: Folha de Pernambuco